Pular para o conteúdo
16 de setembro de 2021 / carlostrapp

Há 162 anos, uma semente foi plantada eaté hoje a árvore cresce frondosa

A primeira mensagem da fé cristã de tradição reformada foi proclamada em terras brasileiras, ainda muito cedo, no longínquo ano de 1558, quando um grupo de huguenotes franceses, chegados ao Brasil um ano antes, foi martirizado na então “França Antártica” (hoje Rio de Janeiro), no episódio que ficou conhecido como “A Tragédia da Guanabara”, que deu origem à Confissão de Fé da Guanabara, o primeiro escrito pro-testante redigido no Brasil e de todo o Continente Americano.
A Fé Reformada voltou ao Brasil no século XVII, sendo pregada pelos holandeses na Região Nordeste aos nativos. No auge do trabalho reformado, existiam 22 igrejas instituídas, organizadas em dois presbitérios e um sínodo regional. As Igrejas Reformadas realizaram muitos trabalhos missionários nas aldeias dos indígenas, usando uma tradução em tupi do Catecismo de Heidelberg, o que levou a conversão de indígenas e até mesmo a ordenação de mi-nistros nativos para as igrejas locais, formados na Universidade de Leiden; mas esse trabalho foi duramente perseguido após a expulsão dos holandeses do Brasil.
Mas em 12 de agosto de 1859, chega ao Brasil um jovem missionário, o Rev. Ashbel Green Simonton (1833-1867), pioneiro presbiteriano em nossa pátria! Simonton, fundador da Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB), juntamente com o Rev. José Manoel da Conceição (1822-1873), o primeiro pastor evangélico brasileiro, foram os personagens mais notáveis dos primórdios do protestantismo no Brasil.
Simonton, nasceu em West Hannover, no sul da Pensilvânia, filho do médico William Simonton e de Martha Davis Snodgrass, filha de um pastor presbiteriano. Ashbel era o mais novo de nove irmãos, sendo que um deles, James Snodgrass Simonton, quatro anos mais velho que Ashbel, viveu por três anos no Brasil e foi professor na cidade de Vassouras, no Rio de Janeiro. Uma das quatro irmãs, Elizabeth Wiggins Simonton (1822-1879), conhecida como Lille, veio a casar-se com o Rev. Alexander Latimer Blackford, vindo com ele para o Brasil.
Simonton, influenciado por um reavivamento em 1855, fez a sua profissão de fé e, pouco depois, ingressou no Seminário de Princeton. Um sermão pregado por seu professor, o famoso teólogo Charles Hodge, levou-o a considerar o trabalho missionário no estrangeiro. Três anos depois, candidatou-se perante a Junta de Missões da Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos, citando o Brasil como campo de sua prefe-rência. Dois meses após a sua ordenação, embarcou para o Brasil, chegando ao Rio de Janeiro em 12 de agosto de 1859, aos 26 anos de idade, vindo a falecer, de febre amarela, aos 34 anos, em 1867, no Rio de Janeiro – sua esposa, Helen Murdoch, falecera três anos antes, também em terras brasileiras. Apenas oito anos, mas preciosos para o Reino de Deus.
Foi sucedido pelo Rev. Alexander Latimer Blackford, nascido em 09 de janeiro de 1829, em Martins Ferry, Ohio. Blackford formou-se em teologia pelo Western Theological Seminary, sendo ordenado mi-nistro presbiteriano em 20 de abril do mesmo ano, vindo para o Brasil com sua esposa (Elizabeth Blackford, irmã de Simonton) em 25 de julho de 1860, para auxiliar seu cunhado. Foi incansável na evangelização dos brasileiros, viajando por toda a região de São Paulo e Minas Gerais, pregando o evangelho segundo a tradição reformada. Em 05 de março de 1865, organizou a Igreja Presbiteriana de São Paulo, sendo o seu primeiro pastor. Após a morte de seus cunhados, ficou responsável também pelo cuidado e educação de sua sobrinha, Helen Murdoch Simonton.
Um dos frutos desse esforço missionário foi o Rev. José Manoel da Conceição, o primeiro brasileiro a ser ordenado ministro protestante, em 1865. Ex-padre, após alcançado pelo trabalho do Rev. Blackford, visitou incansavelmente dezenas de vilas e cidades no interior de São Paulo, Vale do Paraíba e sul de Minas, pregando e fundando comunidades, tendo sido bastante perseguido em suas peregrinações – não poucas vezes sendo alvo de agressões físicas. Faleceu na região do Vale do Paraíba, no Natal de 1873, devido a ferimentos sofridos.
Em sua memória, aos 11 de fevereiro de 1980, foi fundado o Seminário Teológico Presbiteriano, Reverendo José Manoel da Conceição – JMC, em São Paulo-SP.
A Igreja Presbiteriana é uma federação de igrejas que tem em comum uma história, uma forma de governo, uma teologia, bem como um padrão de culto e de vida comunitária. Historicamente, a Igreja Presbiteriana do Brasil pertence à família das igrejas reformadas ao redor do mundo, e é uma das primeiras Igrejas protestantes em nosso país, antecedida apenas pela Igreja Evangélica Fluminense, fruto do ministério autônomo iniciado pelo também presbiteriano, Rev. Robert Reid Kalley. Mais tarde, ao longo do século 20, surgiram outras igrejas congêneres, que também se consideram herdeiras da tradição calvinista, como Igreja Presbiteriana Independente do Brasil (1903), a Igreja Presbiteriana Conservadora (1940), a Igreja Presbiteriana Fundamentalista (1956), a Igreja Presbiteriana Renovada do Brasil (1975), e Igreja Presbiteriana Unida do Brasil (1978) – assim como algumas igrejas criadas por imigrantes vindos da Europa continental, tais como suíços, holandeses e húngaros.
Hoje a IPB conta, conforme o último levantamento consolidado (2016), com 649 mil membros, em 2.805 igrejas e 3.256 congregações e pontos de pregação. Entre 2004 e 2016, a Igreja cresceu cerca de 37,14%, enquanto o IBGE apontou, no mesmo período, um crescimento da população de 10,69%. Hoje as Igrejas estão distribuídas em 362 presbitérios, por sua vez agrupados em 87 sínodos. A instância maior da IPB é o Supremo Concílio, cujo atual presidente é o Rev. Roberto Brasileiro Silva, reeleito na última reunião ordinária (2018) para um mandato de 04 anos. O vice-presidente é o Rev. Augustus Nicodemus Lopes.
Possui diversas autarquias missionárias, das quais se destacam a Agência Presbiteriana de Missões Transculturais (APMT) e Junta de Missões Nacionais, com missionários em todo o território nacional e em todos os continentes.
A Missão Evangélica Caiuá, em Dourados-MS, também é um trabalho da IPB. além disso, possui diversos hospitais e intituições educacionais espalhados pelo Brasil, desde escolas e colégios até universidades, como, por exemplo, o Instituto Presbiteriano Mackenzie, em São Paulo-SP (este último, agora, com extensão em nosso Estado através da Escola Presbiteriana Erasmo Braga, em Dourados-MS). Possui ainda 08 seminários para formação teológica de pastores, tanto presbiterianos quanto de ou-tras denominações evangélicas.
Nada disso teria sido possível sem aqueles que colocaram suas vidas no altar de Deus, para serem usados conforme o Seu eterno propósito. Lembramo-nos dos pioneiros, mas a glória pertence somente ao Senhor, que através de incontáveis servos e servas fiéis tem resgatado vidas para o Seu Reino. Como escreveu um missionário, “a missão do ide é dada aos discípulos – mas primeiro recebemos o Espírito Santo que nos capacita a cumprir a missão recebida. A proclamação do evangelho, é então nossa responsabilidade e nosso privilégio”. Até que o Rei volte, devemos trabalhar para que Sua árvore continue crescendo e dando frutos de justiça e louvor para a honra de Deus, o Pai!
Nossa certeza é a mesma do Rev. Ashbel Green Simonton, há mais de um século e meio: “amanhã, quando eu acordar, Deus estará comigo; e, se acaso não acordar, eu estarei com Ele”.

Rev. Clemente A. Albuquerque Jr, pastor da 3ª Igreja Presbiteriana em Campo Grande

Com consultas a:

  • CRESPIN, Jéan. “A TRAGÉDIA DA GUANABARA”. Editora CPAD, 1ª Edição: 2006.
  • MATOS, Adão Carlos Matos; NASCIMENTO, Alderi Souza De. “O QUE TODO PRESBITERIANO INTELIGENTE DEVE SABER”. Editora Z3Ideias, 1ª Ediçao: 2007.
  • https://www.ipb.org.br/
  • https://pt.wikipedia.org/wiki/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: