Pular para o conteúdo
3 de agosto de 2011 / carlostrapp

Milhões em São Paulo acusam STF de rasgar a Constituição

Uma gigantesca multidão, estimada entre um e cinco milhões de pessoas, participou numa quinta feira, dia 23 de junho de 2011, da 19ª edição da Marcha para Jesus, uma das maiores manifestações religiosas do planeta.
O evento transformou-se em um palco para pesadas críticas ao Supremo Tribunal Federal (STF).
A imprensa noticiou que os pastores atacaram duramente a decisão do STF de legalizar a união estável entre pessoas do mesmo sexo, mas o exame atento das acusações apresentadas revela que o maior problema denunciado foi a instauração de um golpe à democracia brasileira.
Os juízes querem atribuir-se o direito de legislar, ignorando os sentidos óbvios da Constituição que deveriam guardar, impondo ao povo brasileiro aquilo que está sendo preparado por uma agenda estabelecida por organizações internacionais.
O pastor Silas Malafaia afirmou, contundentemente, sob o aplauso da enorme multidão: “O STF rasgou a Constituição que, no Art. 226, parágrafo 3º, diz claramente que a união estável é entre um homem do gênero masculino e uma mulher do gênero feminino”.
O pastor também atacou a decisão do STF de liberar as marchas da maconha no Brasil: “Amanhã, se alguém quiser fazer uma marcha em favor da pedofilia, do crack, da cocaína, vai poder fazer, nós, em nome de Deus, dizemos não.”
O senador Marcelo Crivella, também presente à marcha, manifestou-se duramente em relação ao STF que, segundo ele, está agindo politicamente e se imiscuindo em temas que dizem respeito ao Legislativo: “O Congresso tem que se levantar contra o ativismo político do STF, pois só o Congresso pode detê-los”, afirmou o senador. Crivella acrescentou que “não é possível que onze juízes, escolhidos apenas por um só homem, queiram legislar no lugar de centenas de parlamentares, eleitos por duzentos milhões de brasileiros.”
Assista no You Tube o impressionante posicionamento do pastor Silas Malafaia sobre o rumo dos pronunciamentos do STF, diante do aplauso entusiástico de mais de um milhão de pessoas: www. youtube.com/watch?v= DOnW0kOJeW8
Nos últimos dias, as igrejas evangélicas têm distribuído diversos vídeos sobre os novos procedimentos claramente inconstitucionais do STF.
O pastor Daniel Sampaio, comentando o reconhecimento da união homoafetiva como entidade familiar por parte do STF, em vídeo no You Tube cuja audiência aumenta à razão de dez mil novos acessos por dia, coloca toda a ênfase do problema, mais do que no próprio reconhecimento da união homoafetiva, no “atropelamento da Constituição Federal pelo STF”, afirmando que “tudo foi programado pelo governo federal” e que, se os evangélicos e o Congresso Nacional não se posicionarem energicamente, o que “esta-mos enfrentando é um golpe de Estado” e o início de “uma nova ditadura”.
“A Casa que deveria ser a guardiã da Constituição atropela a mesma Constituição”, afirma o pastor, ao que ele acrescenta que “a iniciativa partiu do próprio governo federal, via Procuradoria Geral da República”.
“Se o STF fosse uma entidade séria”, continua o pregador, deveria ter declarado ser “incapaz de julgar o tema, uma vez que a Constituição brasileira afirma que, para efeito de proteção do Estado, é reconhecida a união estável do homem e da mulher como entidade familiar e, portanto, para analisar o que a Procuradoria pede, seria necessário antes mudar a Constituição”.
O pastor Daniel conclui: “Se o guardião da Constituição atropela a Constituição, o que esperar de nossa Nação? O que aconteceu esta semana foi um golpe de Estado, houve um atropelo à Constituição Federal, o STF introduziu a desobediência civil. A Constituição diz que uma entidade familiar é uma união estável entre um homem e uma mulher. Se o guardião da Constituição abre brecha em relação a isso, então qualquer coisa pode ser feita nesta Nação”.
Na segunda parte do vídeo, o pastor, citando outros fatos menos conhecidos pelo público, afirma que, “tudo foi, na realidade, programado pelo Governo Federal”.
“Se o STF pode aprovar essa Lei, então o Governo também pode aprovar o aborto, enfim, qualquer coisa que queira aprovar, sem precisar passar pelo Legislativo”.
“Portanto, eu pergunto aos deputados: Os senhores irão aceitar isso? Para que existe o Legislativo? Não é a Casa das Leis? Então, agora o Governo vai passar pelos senhores e aprovar as leis via Judiciário? O Judiciário tem que fazer cumprir as leis que são aprovadas no Legislativo e sancionadas pelo Executivo”.
“Irmãos, nós estamos enfrentando no Brasil uma ditadura. Isto é um golpe. Aviltaram a Constituição Federal. Quem deveria defender a Constituição está passando por cima dela. E o pior de tudo: A imprensa aplaudindo, a Ordem dos Advogados do Brasil, aplaudindo.  Parece que estão todos cegos. O que esperar mais disso?”.
Concluiu dizendo: “Esta semana, fiquei com vergoha de ter nascido neste país. Senti vergonha porque me senti ultrajado no meu direito. Passaram por cima da Constituição. Os senhores Ministros deveriam defender a Consituição assim como eu estou aqui para defender a Palavra de Deus”.
http://www.youtube.com/watch?v=WIf1-qsVQ7 g&feature=youtube_gdata_player

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: